A onda do plástico: como isso pode afetar nosso futuro?

Veja como sua marca pode contribuir para reverter a poluição por plástico

Sabemos que os pontos negativos do uso do plástico são muitos, por isso precisamos tomar atitudes urgentes para evitar que a situação seja irreversível.

Em primeiro lugar, desde que o plástico foi inventado – conheça a história completa –  o material facilitou a vida das indústrias e, consequentemente, foi deteriorando a vida do nosso planeta, mais especificamente dos oceanos, onde vão parar a maior parte dos plásticos após o uso.

Que os riscos ambientais são gigantes já sabemos, mas analisar os dados desse impacto e propor soluções eficazes para o problema ainda é um cenário pouco explorado.

A SYSTEMIQ é uma empresa que busca remodelar as conexões entre os sistemas econômicos e naturais, fazendo parcerias com negócios, finanças, formuladores de políticas e sociedade civil para tornar os sistemas econômicos verdadeiramente sustentáveis.

A empresa lançou um relatório em parceria com a The Pew Charitable Trusts mostrando que os fluxos de plástico no oceano devem triplicar até 2040. Mas, uma ação imediata pode reduzir a maré em mais de 80%.

O relatório, chamado “Breaking the Plastic Wave: A Comprehensive Assessment of Pathways To Stop Ocean Plastic Pollution” apresenta um modelo inédito do sistema global de plásticos.

É um roteiro baseado em evidências que descreve como reduzir radicalmente a poluição do plástico do oceano até 2040. Também mostra que há um caminho abrangente, integrado e economicamente atraente para reduzir, de forma significativa, os resíduos de plástico que entram em nosso oceano. Confira alguns dados:

Dados sobre a poluição causada pelo descarte de plástico no meio ambiente.

Um desafio ambiental possível

A poluição do plástico nos oceanos é um problema que foi criado durante um longo período de tempo. E nós queremos acreditar que ele pode ser resolvido em uma geração – ou antes – e pode! Mas, essa solução necessita que líderes políticos, legisladores, executivos e investidores passem de uma mudança incremental para uma mudança sistêmica.

As empresas destacam que a ligação sistêmica entre o melhor design de plástico, a reutilização, a economia de reciclagem aprimorada e os incentivos de coleta amplificados formam o conceito de economia circular. Junto com a redução e substituição de plásticos e melhor gestão de resíduos, como uma forma de resolver urgentemente esse sério desafio ambiental.

Para resumir, o relatório ainda mostra que a aplicação e o investimento nas tecnologias, práticas de gestão e abordagens políticas disponíveis atualmente – incluindo redução, reciclagem e substituição de plástico – em 20 anos haveria uma redução de cerca de 80% do fluxo atual de plástico no oceano.

As novas soluções recomendadas no relatório prometem fornecer aos consumidores os mesmos serviços que o plástico oferece hoje – a um custo menor para a sociedade. Confira!

Mas, vocês devem estar se perguntando: certo pessoal, mas o que isso interfere no meu negócio?

Pois bem, para esclarecer:

Já conversamos com vocês sobre Marketing Consciente e como esse conceito pode moldar o futuro dos negócios. Dentro disso, a vertente ambiental tem um forte peso na decisão dos consumidores, que veem nas empresas uma forma de contribuir com a preservação do ambiente.

Ou seja, se você tem uma empresa e oferece um produto ou serviço, deve pensar em toda a cadeia que envolve sua mercadoria, desde a produção até o consumo e o descarte. Vale ressaltar que as empresas que já estão se adaptando a essa realidade, estão um passo a frente das demais.

Confira alguns exemplos:

A empresa britânica de embalagens Frugalpac criou um novo design de embalagens de álcool com suas novas garrafas de vinho, feitas de papelão reciclado. A pegada de carbono das garrafas é 6 vezes menor do que a de suas contrapartes tradicionais de vidro e um terço menor do que uma alternativa de plástico 100% reciclado.

A Nestlé criou um material capaz de substituir as embalagens plásticas. É um papel reciclado com revestimento de polímero que o torna impermeável e resistente o suficiente para passar pela linha de produção, transporte e armazenamento por nove meses. Segundo a empresa, o material reciclado se degrada depois de seis meses no oceano.

A partir da coleta de plástico pelas praias brasileiras, em 2018, a Unilever criou uma nova garrafa reutilizável do sabão em pó Omo. Foram mais de 18 mil embalagens produzidas, o início do compromisso da Unilever de ter 100% de plástico reutilizável em seus produtos até 2025. Outras marcas da empresa também têm embalagens recicladas ou com menos plástico, como Dove, Tresemmé e Seda. As embalagens ecofriendly podem ser identificadas com selos.

Anel de engradado da cerveja Corona feito de fibras biodegradáveis à base de plantas.

A empresa de cerveja, Corona, anunciou um projeto piloto com a Parley para eliminar o plástico dos seus produtos. Apesar de suas garrafas serem de vidro e fibras de madeira, os anéis de engradados do pacote de seis cervejas deu lugar para um modelo feito de fibras biodegradáveis à base de plantas.

Trouxemos muitos dados para você refletir, agora que tal avaliar seu negócio e ver de que forma está contribuindo para a preservação do nosso planeta? Conta pra gente quais foram as suas conclusões 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *