Cancelamento: como essa cultura pode afetar as marcas?

Junto com a ascensão das redes sociais veio a alta visibilidade, que deu origem a cultura do cancelamento. Saiba o que tudo isso tem a ver com a sua marca.

Conforme as redes sociais avançam, a pauta cancelamento tem se tornado cada vez mais comum. Mas, nada ficou mais evidente essa semana do que esse tema, que veio à tona com a edição atual do reality show Big Brother Brasil.

Como uma grande justiceira da sociedade, a internet abre um espaço repleto de parcialidade, dando oportunidade para todos corrigirem o erro de alguém.

A cultura do cancelamento surgiu para chamar atenção para causas de injustiça, preconceito, intolerâncias e outros crimes que hoje já não são mais aceitos.

Mas, como algo com o intuito tão positivo tomou essa proporção reversa, como uma verdadeira mina de ataques que exclui qualquer atitude ‘fora do padrão’?

O fato é que a sociedade em geral foi se tornando cada vez mais intolerante e, com a exposição que a internet traz, ficou fácil identificar essas ações incompatíveis com o ideal proposto.

E onde as marcas entram na história?

No momento em que a tecnologia passou a fazer parte do nosso cotidiano, o digital já não era algo distante e passou a ser usado como uma forma de divulgação dos produtos e serviços oferecidos pelas empresas.

Por consequência isso trouxe mais visibilidade para essas marcas e elas passaram a ser ‘vigiadas’ pelo público, que avalia todos os pontos que envolve a empresa, desde o desempenho do produto/serviço que oferece, até o posicionamento em relação a assuntos importantes na sociedade.

Por que as marcas são canceladas?

Buscando entender o que faz o público atacar as atitudes de uma marca, ou até fazerem uma campanha para bani-la, a Medium em parceria com a MindMiners realizou uma pesquisa com 1.000 brasileiros, compilando os 5 principais tipos de cancelamento.

Entre eles, dois motivos são específicos sobre os procedimentos internos da empresa, como os produtos que ela oferece. A maior parte dos entrevistados afirma que cancelaria uma marca pela performance do produto, já outra parcela diz que agiria dessa forma se a empresa não atingisse suas expectativas.

Ainda segundo a pesquisa, as outras causas de cancelamento são praticadas por fatores externos a operação ou controle da empresa, como o posicionamento da marca em assuntos importantes para a sociedade.

Como foi o caso da Natura, que realizou uma campanha surpreendente de dia dos pais em 2020 e chamou a atenção justamente por fazer algo que nunca foi feito antes, representando parcelas significativas da população que pouco se veem na publicidade.

Quais as consequências de um cancelamento?

Assim que o público identifica um motivo para que uma empresa seja cancelada, uma série de efeitos passam a acontecer com aquela marca.

O mais comum deles é quando os consumidores deixam de consumir produtos ou serviços da empresa. Isso pode acontecer de forma isolada ou de forma coletiva, dependendo da situação.

Outra parcela da população não para por aí e busca fazer sua voz presente, expondo a empresa a comentários e julgamentos, seja entre conhecidos ou na própria internet, que acaba tomando uma proporção ainda maior.

Isso pode trazer implicações negativas, como impacto financeiro, crise de imagem e afetar todo o planejamento de comunicação da marca.

Existe sobrevivência após o cancelamento?

Com certeza, o primeiro passo é agir com transparência. Seja por um erro, deslize ou sob uma má interpretação do público, o segredo nessas situações é um bom gerenciamento de crise.

Reconhecer o que aconteceu e estar disposto a amenizar os danos causados é o que os consumidores esperam da sua marca. Mas, fique atento, se o cancelamento foi causado por uma situação em que a empresa reforça seu propósito, salientando aquilo que acredita, é preciso manter sua opinião e defender seu posicionamento – é o momento de ser verdadeiro.

Ninguém está imune ao cancelamento

Chegamos ao fim desse texto com a reflexão de que todos estamos sujeitos ao cancelamento. Já que essa ação é causada por opiniões e com visões de mundo tão diferentes, é impossível agradar a todos, ainda mais com a internet tão polarizada como atualmente.

Portanto, escolha seu lado e se posicione, seja verdadeiro com aquilo que você acredita e traga isso para o seu dia a dia. Afinal, se for pra ser cancelado, que seja reforçando quem a sua marca é, de forma intencional e estratégica, com consciência e responsabilidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *