WhatsApp com áudios acelerados: um recurso necessário ou mais um reflexo da nossa falta de paciência?

O recurso de áudios acelerados no WhatsApp é uma função que possui prós e contras, confira a reflexão que analisa essas características.

O recurso de áudios acelerados do WhatsApp foi bem aceito entre os usuários e muito questionado por especialistas e pesquisadores de comportamento.

Recentemente o aplicativo WhatsApp liberou a função de acelerar áudio na troca de mensagens, um recurso muito pedido pelos usuários que costumam usar a ferramenta para o trabalho e outras atividades cotidianas.

O aplicativo não possui um limite de tempo para os áudios, por isso muitas pessoas não conseguiam concluir a ideia em poucos segundos e as gravações se tornavam longas demais. Com esse relato dos usuários, os desenvolvedores habilitaram a função da aceleração.

A possibilidade de acelerar áudios, em vídeos do Youtube, podcasts e filmes já existia através de programas complementares. Mas, quando o recurso chegou no aplicativo de mensagens mais usado no mundo, ganhou uma proporção ainda maior.

Acelerar contribui cada vez mais com a cultura da pressa?

Com a função habilitada, diversos especialistas se posicionaram sobre o perigo que isso pode trazer para nossa sociedade cada vez mais ansiosa. 

É comum encontrarmos pessoas correndo o tempo todo, tentando realizar um número absurdo de tarefas por dia, com a sensação de estar atrasado sempre, tentando se encaixar nessa cultura que cobra tudo para ontem. 

A pressa virou um padrão e o recurso do aplicativo vem confirmando isso nos primeiros dias de uso, contribuindo para fazermos as coisas mais rapidamente, gerando mais pressão. 

As tecnologias existem para facilitar a nossa vida, mas ao “economizar tempo” ouvindo um áudio acelerado, para onde vai essa sobra? Para um momento de descanso ou uma atividade de autocuidado? Na verdade não, usamos esse tempo para encaixar mais tarefas numa rotina já atolada de afazeres.

Segundo dados da OMS (Organização Mundial da Saúde) divulgados em 2020, o Brasil é o líder no ranking de países com mais pessoas diagnosticadas com transtornos de ansiedade no mundo – um cenário que vem sendo reportado desde 2017. 

E os áudios acelerados do WhatsApp é um recurso que gratifica o comportamento ansioso. Estamos perdendo a reflexão sobre os processos, como se o automático fosse a maneira certa de fazer as coisas. Quando na verdade, na maioria das vezes precisamos que as coisas durem o tempo que elas precisam durar.

Equilíbrio é o segredo

Esse não é um decreto de que não se deve acelerar áudios, longe disso! Sabemos que o aplicativo de mensagens é usado para diversas finalidades e que a necessidade de ouvir algo mais rapidamente pode aparecer em algum momento.

Trouxemos a situação como uma reflexão do modo como vivemos atualmente e defendemos o equilíbrio nessa situação. Sempre se atente na relação de troca, mesmo que digital, com quem está do outro lado do celular, o que você estaria perdendo além da voz original? Avalie se esse momento deve ser acelerado ou se ele precisa de escuta com atenção. 

Ao fazer essa pausa para refletir você já está se defendendo da cultura da pressa. Se quiser debater mais sobre isso, deixe um comentário para que possamos saber sua opinião. 😉

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *