Tendências para o futuro: como serão as viagens daqui 20 anos?

Sustentabilidade e tecnologia em favor dos objetivos da Agenda 2030 da ONU.

As tendências para o futuro nos levam a uma realidade que, no início deste ano, ainda parecia distante. Contudo, em função da pandemia de Covid-19, a maior parte das empresas e da sociedade se viu em meio a uma enorme transformação digital, que altera os aspectos sociais, tecnológicos e a relação com os espaços físicos.

Com base no white paper da Euromonitor International, trouxemos alguns pontos interessantes sobre como as experiências de viagens, mobilidade urbana e hospedagem em hotéis serão nos próximos 20 anos.

A chamada para o consciente é iminente, como já falamos aqui. Com todas as mudanças trazidas pela pandemia do novo Coronavírus, os mais diversos setores e experiências tiveram que se adaptar. Tanto para continuarem ativos durante a crise, quanto para atender as novas exigências dos consumidores, que mudaram suas perspectivas para um consumo consciente.

Experiências de viagens para 2040

A forma como as pessoas vão consumir e vivenciar viagens em 2040 foi o tema do white paper publicado em junho, conduzido por Caroline Bremmer, Chefe de Pesquisa de Viagem da Euromonitor International, que aliou o assunto às necessidades de sustentabilidade pautadas, indiretamente, pela Agenda 2030 da ONU.

Os dados trazem informações que confirmam o que temos abordado em nossos conteúdos aqui no blog. Os avanços da tecnologia, acelerados pela pandemia, irão trazer uma “nova era da automação”, exigindo, por exemplo, que os funcionários sejam capazes de atender serviços de altos níveis no setor de viagens, que serão cada vez mais personalizadas.

Nesse mesmo contexto, aparece a preocupação com o impacto climático, que fará – ou já está fazendo – com que as marcas e os destinos de viagens tenham atitudes conscientes e estejam engajados com a chamada “transição verde”. 

Nesse cenário, as pesquisas indicam um aumento da preocupação com viagens sustentáveis para o futuro. Segundo a Euromonitor Internacional, 65% das pessoas já se preocupavam com a questão climática em 2020, impulsionados por Greta Thunberg.

As marcas e a jornada do cliente

Para a pesquisa, marcas que se preocuparam em cuidar de seus funcionários e colaboradores durante a pandemia, em detrimento do lucro, terão mais chance de crescer depois dela. Isso porque as pessoas estão buscando mais empatia e responsabilidade nos produtos e serviços.

Ao mesmo tempo, a jornada do cliente será impactada pelo desenvolvimento da tecnologia, que além de acelerar as mudanças, permitem oferecer relações e viagens totalmente personalizados, como mostra a Eutomonitor International.

Unindo todos esses fatores com a perspectiva da internet global, os serviços poderão ser oferecidos com agilidade e eficiência na entrega, além de terem a chance de unir o digital à experiência do usuário, à sustentabilidade e ao seu propósito.

Mas afinal, como é o futuro das viagens?

A Euromonitor International dividiu o futuro das viagens em quatro cenários, que mescla o universo online às experiências reais de cada pessoa.

Viagens online

Segundo os dados do white paper, as viagens irão começar através de uma sala inteligente. Por meio de um avatar, a inteligência artificial irá avaliar as opções de acordo com as respostas emocionais de cada pessoa e combiná-las aos principais atributos do destino, como questões sustentáveis.

Mobilidade urbana

Já imaginou viajar com um carro elétrico e sem motorista? Isso mesmo, segundo o relatório, as tendências para a mobilidade urbana se enquadram nesta cena: um automóvel de quatro lugares voltados para o centro, guiados por um assistente digital.

Esses veículos irão viajar por estradas inteligentes, que usam a internet das coisas e recebem informações necessárias sobre fluxo e situação da estrada, além de mostrar curiosidades sobre o local onde estão passando.

Viagens aéreas

Viagens mais curtas serão feitas em aviões elétricos e sem pilotos, de acordo com a Euromonitor International. Aeronaves com capacidade para até 100 passageiros, onde eles poderão medir os impactos do percurso no meio ambiente em tempo real. Uma viagem que agrupa passageiros por interesses pessoais, embarcados através da biometria.

Hotel

A ideia é promover inclusão e diversidade também para as hospedagens. Compostas por famílias não tradicionais e multigeracionais, a hotelaria vai contar com atendimento personalizado através de realidade mista, porteiros robóticos e até mesmo aluguel de roupas e produtos de higiene no próprio hotel.

Uma transformação incrível que, embora pareça distante, já está começando a refletir no presente. E você, como imagina o futuro das viagens daqui 20 anos?

Fonte: Travel 2040 – Climate Emergency to Force a Revolution in the Industry